Era o pequeno André, de 10 anos, quem aguardava a equipe da Affego Fraterna na manhã dessa quarta-feira, 5, para receber as doações destinadas a sua família. O pai, o autônomo Lourenço Alves, estava trabalhando; a mãe, Ana Patrícia, esperava dentro da pequena residência em que vivem o casal e seus três filhos: o mais velho, André; a do meio, Iara, de 8 anos; e o caçula, Caíque, de 1 ano e 6 meses.

Simplicidade é o que define a família, que mora numa casa alugada no Residencial Morada do Bosque. No braço de André, apenas a criatividade supera a carência da família: um relógio de papel feito pelo próprio menino, imitando o acessório verdadeiro que não pode ser comprado pelos pais.

Tatyana Montenegro, coordenadora da Affego Fraterna, conversou com Ana Patrícia e conheceu um pouco mais sobre a situação por eles vivida. A dona de casa não trabalha pois precisa cuidar dos filhos, ainda pequenos; seu marido, Lourenço, paga as contas fazendo pequenos bicos como serralheiro, eletricista, soldador e ajudante de obras em toda Goiânia. Assim os dois seguem em frente, apesar das muitas dificuldades.

Enquanto elas duas conversavam, o próprio Lourenço chegou pilotando uma bicicleta na qual estava pregada uma placa com os dizeres: SERRALHEIRO, ENCANADOR, ELETRICISTA. É uma forma de anunciar o trabalho que garante o sustento de toda a casa.

“Fiquei sem serviço esses últimos dias e aí a situação apertou, mas estou sempre procurando trabalho. Faço serviços de serralheiro, conserto portões, encanamento, reformas pequenas, também faço instalações elétricas, então é assim, o que surgir de trabalho eu aceito para sustentar minha família.”, afirmou Lourenço.

Sua história chegou à Affego graças à intervenção de um colaborador da Affego que mora próximo ao autônomo. Sabendo da situação do vizinho de rua, o colaborador se compadeceu e solicitou a ajuda da Affego Fraterna.

Tatayana Montenegro levou caixas de alimentos contendo pacotes de arroz, sacos de feijão, caixas de leite, macarrão e latas de óleo para ajudar a família a se manter nas próximas semanas. É um incentivo e um apoio durante um período de dificuldades que, todos esperam, será passageiro.

“Depois desse período de chuvas as coisas devem melhorar e vou arrumar mais serviços. Enquanto isso, conto com a ajuda de Deus e de pessoas como vocês.”, pontuou Lourenço, além de agradecer: “Muito obrigada por isso aqui hoje. Que Deus também ajude vocês.”

Se você se identifica com o trabalho da Affego Fraterna e quer fazer parte dessa corrente do bem, entre em contato com a Affego Fraterna pelo telefone: (62) 3096-7656 e ajude o departamento a levar doações a quem tanto precisa!

Fonte: Affego

Compartilhe:

  • Compartilhar