A Administração Fazendária promoveu, na última sexta-feira (19), a primeira edição do projeto Encontro da Auditoria. O evento, que ocorreu até o final da tarde no auditório da Secretaria da Fazenda do Estado do Ceará (SEFAZ-CE),  tem o objetivo de proporcionar aos participantes uma reflexão crítica sobre o panorama da Auditoria e discutir os assuntos inerentes às suas atividades no âmbito da SEFAZ.

Para o coordenador da CATRI (Coordenadoria da Administração Tributária), Rafael Zidan, trata-se de uma proposta de integração da categoria e um chamado à ponderação sobre o papel do Auditor frente às inovações tecnológicas. "A ideia é que seja um evento anual. A concepção do tema foi muito natural, porque é a provocação diária com que trabalhamos, e esperamos que, a partir deste encontro, possamos discutir e agir no sentido de superarmos o  desafio", disse.

O Futuro da Auditoria

A palestra "O futuro da Auditoria-Fiscal: oportunidades e ameaças para os agentes do Fisco", ministrada pelo do Auditor-Fiscal da Receita Federal, Marcelo Lettieri, foi a principal atração da manhã. Ele destacou que o trabalho dos Auditores será diretamente afetado pela indústria 4.0, que, considerada a  quarta revolução industrial, vem promovendo inovações tecnológicas nas áreas de automação, controle e tecnologia da informação. Com isso, os processos de produção devem seguir a tendência de mais eficiência e autonomia. 

"O objetivo da nossa palestra foi trazer uma reflexão sobre o futuro do nosso trabalho como Auditor. Não apresentar uma cena apocalíptica, mas mostrar um cenário do que já vem acontecendo hoje. Isso tudo vai exigir dos agentes do fisco, cada vez mais, uma capacitação constante para saber lidar com a tecnologia, não ser inimigo dela", afirmou o economista. 

"A gente tem que sair da postura de ver tudo acontecer e partir para uma atitude mais proativa. 'Como vai ser essa transição?' 'Como eu posso participar dessa transição?' O agente do Fisco tem de criar o seu próprio futuro, e não pertencer ao futuro que foi criado por outro", finalizou.                         

Atuação da AUDITECE

O diretor-executivo da AUDITECE, Juracy Soares, que prestigiou o evento, parabenizou à CATRI pela promoção do evento acerca do tema que vem sendo trabalhado pela entidade nos últimos anos. "Temos alertado a categoria sobre essas novas posturas e processos que o servidor fazendário precisará adotar para se adaptar à tendência de mudanças tecnológicas há, ao menos, três anos. O Auditor deve ser esse agente de mudanças, abandonar a postura ultrapassada de executor e vestir o traje de executivo, de profissional responsável por estudar e projetar novos cenários", destacou. 

No último dia 30, o jornal O POVO publicou o artigo de Soares, intitulado Um Novo Perfil de Servidor Público Fazendário, sobre a questão abordada no Encontro. 

Leia aqui 

Encerramento

A programação da tarde ainda contou com uma exposição do cenário atual da Auditoria-Fiscal do Ceará, com foco na CESEC, na CEMAS e na CESUT. Na ocasião, os gestores das Células supracitadas apresentaram dados e resultados referentes à atividade dos Auditores-Fiscais da Receita Estadual (AFRE). 

O evento foi encerrado com a palestra motivacional do advogado, ator e comediante, Haroldo Guimarães, sobre "Os seis tipos de conhecimentos transformadores".

Compartilhe:

  • Compartilhar